Quais são os seus sonhos?

  • 8
A MENINA E O VESTIDO DE SONHOS_ CAPA

“Esta é a história de uma menina que tinha um vestido feito de sonhos. Colecionava sonhos abandonados pela cidade e, juntando-os, fez o mais mágico, belo e vistoso vestido que alguém ousasse imaginar. Mas faltava algo nele... Agora ela terá de achar botões de amora para completar o seu vestido. Deverá ultrapassar os limites da cidade numa viagem fantástica para conseguir os tais botões. Será que vai conseguir?”

Hoje a visita de Passarinho é uma das meninas de Alexandre Rampazo, escritor e ilustrador. A MENINA E O VESTIDO DE SONHOS (Larousse Júnior) já bateu no portão e entrou no ninho com o seu vestido. Logo no primeiro momento, Passarinho percebeu que para ela os sonhos são fundamentais para a vida, uma espécie de combustível, sabe; a menina disse que não titubeia  quando o assunto são os sonhos, ela sempre está buscando, sempre está indo atrás das respostas e sempre se pergunta se a vida pode ser sentida sem a verdadeira felicidade. O papo é bem pertinente nos tempos atuais, você não concorda?

Um gosto de amora comida com sol. A vida chamava-se “Agora”. Guilherme de Almeida.

Uma porção de desejos, pensamentos e ideias em seu vestido cheinho de sonhos, sonhos que antes estavam jogados pelos cantos... A menina adorava passar o dia pegando os sonhos que ninguém usava. Grandes, pequenos, tolos, malucos, brilhantes... a menina, muito esperta, ia juntando um no outro: montando o mais belo vestido que alguém ousasse imaginar. Já não cabiam mais sonhos abandonados em seu vistoso vestido!

Pensava ter acabado a sua diversão, quando se deu conta de que algo muito importante estava faltando! Gritou: - Botões!!! No meu lindo vestido de sonhos faltam botões! Lindos e vermelhos botões de amora! Todos da cidade acharam a ideia muito maluca, mas a nossa menina foi em busca de seu sonho. Ela achou os botões? E os habitantes daquela cidade? A história os presenteia com sonhos no final ou não? E você, leitor? Está buscando os seus sonhos? Quais são eles?

http://globotv.globo.com/editora-globo/crescer/v/entrevista-com-o-escritor-e-ilustrador-alexandre-rampazo/

Cristiane Rogerio entrevista Alexandre Rampazo.

2013 já está terminando e este ninho, um dos meus sonhos, está aqui realizado. Sim, falta muita coisa ainda pro ninho, mas me despeço deste ano muito feliz com este espaço mágico de palavras trocadas, de carinho escrito, de Literatura como paixão, enfim, sigo feliz porque tenho amigos que, todas as semanas, vêm ao ninho para me encantar, para me dizer que é preciso sonhar e que os sonhos se concretizam.

Alexandre Rampazo é inspiração e um dos responsáveis pela minha paixão à Literatura Infantil! Me sinto privilegiado em acompanhar a sua carreira de escritor e ilustrador (que ilustrações!!!), de ter recebido um original lindo na Melhoramentos, dos nossos cafés literários! Hoje, o ninho é Alexandre Rampazo!

VESTIDO DE SONHOS1

 

As amoras e a menina de Alexandre Rampazo.

ALEXANDRE RAMPAZO

“Sou Alexandre Rampazo, me formei pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Trabalhei como diretor de arte, designer e também desenvolvi projetos como freelancer para editoras, ilustrando e fazendo capas para livros. Desde 2007 me dedico exclusivamente às ilustrações e à literatura infantil. Agora tenho mais uma história para contar. Mais uma menina na minha vida. Depois de ter escrito e ilustrado A MENINA QUE PROCURAVA, estou aqui novamente contando a história de uma menina diferente, muito parecida com tantas crianças e adultos que conheço. EM A MENINA E O VESTIDO DE SONHOS, conto a história de uma sonhadora menininha que simplesmente decide ir atrás do seu próprio sonho, por mais absurdo que possa parecer. Espero que sirva de inspiração para todos os leitores!"

Saiba mais em:

http://www.alexandrerampazo.com.br/

Amigos, um ótimo final de semana e até sexta!

Dia 06, Passarinho estará na FESTA DO CALENDÁRIO (RHJ), texto de Alexandre de Castro Gomes e ilustrações de Cris Alhadeff.

Agradecimentos:

A todos que me emocionaram com compartilhamentos no facebook e com comentários belíssimos sobre o texto “Sylvia Orthof, Hegel e Marx.”, principalmente estes dadivosos, que tiveram a gentileza de postar no PASSARINHO as suas impressões:

Heloisa Leandro, Daniel Pilotto, Pablo Morenno, Romont Willy, Santiago Régis, Olga Samia e Vinícius Linné.

Um abraço muito especial para o Alexandre Rampazo!

Renato Coelho

Apaixonado pela Literatura Infantojuvenil.

8 comentários:

  1. Bela resenha, Renato! E que este ninho de sonhos cresça mais e mais! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Neste início de Dezembro, sermos brindados com essa pequena obra de arte é privilégio para poucos.
    E, bem a propósito, neste mês em que diferenças devam ser esquecidas, que amizades necessitem ser resgatadas, que os nós precisem ser afrouxados e os laços estreitados, sonhar é essencial.
    Desejo a você, Renato, que todos os seus sonhos se realizem! E que continue a nos brindar com suas resenhas sensíveis e cheias de magia. Feliz 2014 a você e a todos os 'privilegiados' deste blog! 😊

    ResponderExcluir
  3. Sonhos que as vezes nos parecem impossíveis, que deixamos de lado... Um texto lindo, motivador no início do domingo, início de mês, ir atrás dos sonhos, dos botões que faltam em nossos vestidos!

    ResponderExcluir
  4. Henriette Effenberger1 de dezembro de 2013 06:47

    Um " Passarinho" me contou sobre a menina que colecionava sonhos e buscava botões de amora. Coser sonhos e se vestir deles, certamente é o desejo secreto de cada um nós. A resenha impecável do Renato me deu vontade de comer amora e trazer essa menina para perto de mim. E fico aqui, esperando as outras boas novas do Passarinho.

    ResponderExcluir
  5. Que bacana, Renato. Conto os dias. Me lembrei de você ontem, nas festa em homenagem à Sylvia Orthof em Teresópolis. Aposto que teria gostado.
    Um abraço e sucesso!
    Alex

    ResponderExcluir
  6. Histórias que usam o tecer e o costurar como PANOS de fundo são sempre encantadoras quando bem sonhadas, e ainda mais com cores tão vivas como as criadas pelo Alexandre Rampazo. Estou com gostinho de amora na boca.

    ResponderExcluir
  7. Aqui no ninho sempre uma história nova a ser indicada pelo passarinho. Se 2013, ano de nascimento do blog, foi um ano tão frutífero. Esperamos uma sorte de histórias por aqui no ano que vem.
    Novamente, uma resenha que desperta interesse no livro.

    ResponderExcluir
  8. Amoras estão em muitas histórias infantis. São um desejo quase proibido da infância. Eu também já desejei amoras. As amoras estão nos bosques. E lá estão o Lobo-Mau da Chapeuzinho, a bruxa de Joãozinho e Maria. Muitas vezes, para colher amoras, é preciso fugir do cuidado dos pais, correr riscos, entrar na floresta. Mas correr riscos, vencer os medos, é parte da vida. Mais: mesmo quem recolhe sonhos perdidos precisa ter algum sonho que seja seu. Mesmo absurdo ou destrambelhado como este de usar amoras como botões.

    ResponderExcluir