Sylvia Orthof, Hegel e Marx

  • 10
SYLVIA ORTHOF

 

“Encontrei a Sylvia Orthof uma vez só na minha vida. Estávamos fazendo a coleção “É Assim que lhe Parece”, série Doze Olhos e uma História, em que eu ilustrava a parte da Sylvia – a melhor parte, uma sorte enorme para uma ilustradora iniciante - . A princesa sempre era gorda e estava de regime, pois a própria Sylvia vivia de dieta. Foi uma honra ilustrar de novo um livro da Sylvia!” MARIANA MASSARANI

“O Sol estava resfriado e tinha tomado uma aspirina. Mesmo assim, o nariz continuava a pingar, muito roxo-rosado, que é a cor do nariz do Sol, quando ele está resfriado.

Como o Sol estava muito chateado, sentindo calafrios, que são uns arrepios que sacodem a gente quando a febre é alta, pegou no telefone e telefonou para a Lua.”

Assim começa uma história voltada para as crianças – uma das mais incríveis que já tive acesso – da genial Sylvia Orthof. MUDANÇAS NO GALINHEIRO MUDAM AS COISAS POR INTEIRO (Rovelle), de Sylvia Orthof e Mariana Massarani, me arrebatou por completo e por vários motivos. Os belos traços de Massarani – conheça também o livro NÃO ERA UMA VEZ... (Melhoramentos) ali você fica apaixonado de vez pelas ilustrações encantadas dessa artista que é uma das maiores do nosso país! – a capa que nos remete uma mensagem necessária, a edição cuidadosa e apaixonada do editor e amigo José Prado, a delicadeza em tudo... do papel ao tipo de fonte do título! Todos esses ingredientes são visíveis e louváveis aos olhos de um apaixonado pela Literatura Infantil, mas esse livro vai muito além, Sylvia aqui quebra paradigmas, manda às favas o politicamente correto e nos presenteia com uma história divertidíssima e, acima de tudo, dialética. Por isso o título... Ao lermos MUDANÇAS constatamos que a autora quer divertir, mas também quer mudanças reais nos nossos dias recheados de Hegel e Marx. Voltemos à história.

O Sol fica resfriado, toma uma aspirina, mas a febre permanece alta... pega o telefone e liga para a Lua. Esta ouve o telefone tocar, mas não dá a mínima, pois possui um Dragão como empregado. Dona Lua Nova atende e fica sabendo que precisa trabalhar no lugar do Sol... manda o Jeremias aprontar um café às pressas ( Jeremias é o Dragão, que na verdade se chama Severino... sua “patroa” troca o seu nome para implicar mesmo...) A Lua come tudo, vira Lua Cheia, pega a bolsinha e sai tropeçando nas Três Marias... Quando a Lua aparece novamente no céu, foi um espanto! O leiteiro assustado derrama o leite todo, este leite para perto de um gato e este bebe o tal leite e, ao ver a Lua, mia muito alto, acordando o galo... O galo olha pra cima, não vê o Sol e não entende onde o dia foi parar... fica chateado e começa a implicar com a galinha. Reparem no discurso da galinha após a discussão:

“Se a casa está em desordem, a culpa é minha, mas também é do galo. Afinal, a casa é nossa. Ele que ajude... E se os pintinhos estão malcuidados é porque meu marido só faz cantar de galo, esquece de conversar com os filhos, esquece de ser amigo da gente. Aí, ela ficou tão nervosa, tão nervosa, que abriu a boca e cantou: Cocoricó!” Depois desse desabafo, o Dragão descobriu que tinha chegado a hora dos fracos cantarem! Amigos, a partir desse momento há uma grande reviravolta! A Galinha oprimida pelo Galo se liberta, o Dragão oprimido pela Lua se liberta e a Lua oprimida pelo Sol também “joga a toalha”!

MUDANÇAS – esse livro poderoso -  é o primeiro infantil de Sylvia Orthof e o seu ano de publicação é 1981! Sim, o Brasil ainda estava sob a Ditadura Militar e as mulheres ainda tinham um grande caminho de luta pela frente (ainda têm).

Sylvia Orthof permanece viva e se as coisas tivessem mãe, claro, ela seria a mãe da nossa Literatura Infantil! A autora era engraçada, alegre, solar e se autodenominava a Dercy Gonçalves do mundo literário infantil. No entanto, essa alegria derramada nos seus livros possui também o lado materialista das coisas. A meu ver, Orthof era uma grande leitora de Hegel e Marx e produzia uma literatura alegre, inteligente e transformadora! Acima de tudo, Sylvia também queria um mundo mais igualitário, com menos opressões e com mais amor! A capa de MUDANÇAS NO GALINHEIRO MUDAM AS COISAS POR INTEIRO é uma das mais feministas do mundo da Literatura Infantil! Salve, Sylvia, salve, Massarani!

“A autora, com seu modo muito peculiar de escrever, deixou sua marca na literatura brasileira para crianças e jovens. Suas narrativas têm um estilo lúdico e inteligente, pode-se dizer que seus textos extrapolam o lúdico, ou seja, realizam o divertimento criativo. Em perfeita sintonização com o registro do ponto de vista do leitor infantojuvenil, Sylvia inventava suas histórias divertidas. Com esse estilo incomparável, ela abre o universo da leitura para a prática criativa. Em seus textos, a vida é festa e alegria, sem deixar de lado a crítica às injustiças e aos preconceitos. Em julho de 1997 morreu Sylvia Orthof, aos 64 anos. Em 2012, ano dos 80 anos de nascimento da escritora, a Editora Rovelle faz sua homenagem a Sylvia Orthof com a reedição de doze livros. Cantarim de cantará – Mudanças no galinheiro mudam as coisas por inteiro – Gato pra cá, rato pra lá – Vovó viaja e não sai de casa? – Mula sem cabeça e outras histórias – Senhor Vento e Dona Chuva – Eu sou mais eu! – O livro que ninguém vai ler – Uma história de telhados – O baile do fim do mundo e outras histórias – Folia dos três bois. Em 2013 publica o inédito Poesia d’água , texto e ilustrações da autora.” JOSÉ PRADO.

SYLVIA ORTHOF

Nasceu no Rio de Janeiro, em setembro de 1932. Filha única de pais austríacos, ela queria ser atriz. Aos 17 anos foi para Paris. Lá estudou arte dramática na Escola Educação pelo Teatro. Apaixonada por teatro, especialmente o voltado para crianças, em 1975 ganhou o primeiro prêmio no Concurso Nacional de Textos, do Teatro Guairá, por A VIAGEM DE UM BARQUINHO. E foi nesse barquinho que Sylvia fez a viagem ao reino encantado da literatura infantil, onde conheceu Ana Maria Machado e Ruth Rocha, que feito fadas madrinhas, a apresentaram a esse mundo maravilhoso. Em 1981, teve o seu primeiro livro infantil publicado: MUDANÇAS NO GALINHEIRO MUDAM AS COISAS POR INTEIRO. De lá para cá foram mais de cem livros. A escritora valeu-se de sua experiência teatral para fazer divertida e revolucionária literatura. No dia 24 de julho de 1997, o mundo e a literatura ficaram mais pobres: morreu Sylvia Orthof, aos 64 anos.

https://sites.google.com/site/sylviaorthof/ Por Maria Isabel Iorio, aluna de graduação do curso de Letras da PUC-Rio.

MARIANA MASSARANI

Nasceu no Rio de Janeiro. Cursou Desenho Industrial na UFRJ, e começou a carreira de ilustradora no Jornal do Brasil, onde trabalhou por 13 anos. Já ilustrou mais de 90 livros infantis de diversos autores, além dos oito livros de sua própria autoria. É uma das ilustradoras mais premiadas do Brasil – prêmios Jabuti foram três, por seus desenhos - , e teve seu trabalho exposto em importantes catálogos e mostras nacionais e internacionais.

http://marianamassarani.blogspot.com.br/

Amigos, um ótimo final de semana e até sexta!

Dia 29, Passarinho se encontrará com A MENINA E O VESTIDO DE SONHOS (Larousse Júnior), texto e ilustrações de Alexandre Rampazo.

Agradecimentos:

A todos que me emocionaram com compartilhamentos no facebook e com comentários belíssimos sobre o texto “Tem dia que sim e tem dia que não.”, principalmente estes dadivosos, que tiveram a gentileza de postar no PASSARINHO as suas impressões:

Heloisa Leandro, Ronize Aline, Romont Willy, Olga Samia, Rafael Mussolini, Karin Krogh, Pablo Morenno e Santiago Régis.

Um abraço pra lá de especial para José Prado, amigo e editor de MUDANÇAS NO GALINHEIRO MUDAM AS COISAS POR INTEIRO (Rovelle).

Renato Coelho

Apaixonado pela Literatura Infantojuvenil.

 

10 comentários:

  1. Que leitura adorável deve ser! De tão encantada, fui pesquisar a vida rica embora breve de Sylvia Orthof, e descobri que sua ida a Paris em 1966 foi devido a uma incompatibilidade com o governo militar em Brasília! Vale a pena conhecer um pouco mais da biografia desta mulher à frente do tempo, cheia de vida e alegria, que nos deixou mais de 100 obras infantojuvenis:
    https://sites.google.com/site/sylviaorthof/biografia-da-autora
    Renato, parabéns pela escolha da semana, não poderia ter sido melhor!

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa esta nova postagem Renato!!!!! Adorei viajar pela idéia do livro e principalmente conhecer mais da Sylvia Orthof!!! Como sempre o passarinho nos surpreendendo e nos emocionando com lindos textos, de belíssimos livros!!!!!

    ResponderExcluir
  3. O momento decisivo do texto não é quando o sol convida a lua para tomar seu lugar. Mas quando o galo não consegue entender as mudanças. A falta de sensibilidade do galo, que não consegue interpretar o momento, faz com que as coisas comecem a mudar. A Lua e a Galinha, uma ocupando o lugar do Sol e a outra do Galo, fazem os pequenosperceber uma reviravolta na história.O masculino está doente-o sol, ou não percebe uma mudança de tempos-o galo. . A hegemonia está masculina está ruindo. Um texto lúdico com uma temática importante. Quem sabe um dia eu escreva uma história assim. Salve Sylvia!

    ResponderExcluir
  4. Sempre existe curiosidades sobre os autores brasileiros que nem todos conheciam. " A autora era engraçada, alegre, solar e se autodenominava a Dercy Gonçalves do mundo literário infantil". Imagine a alegria de conversar com essa mulher? Muito boa essa postagem!!

    ResponderExcluir
  5. Imaginei que fosse importante minha postagem, para que muitos passassem a conhecê-la.
    Eu também fiquei encantada com a vida daquela mulher, quanto orgulho para os filhos e descendentes!

    ResponderExcluir
  6. O primeiro livro da Sylvia que li foi gargalhando a cada história (Os Bichos que Tive: Memórias Zoológicas). Desde então tenho ela como a contadora de histórias mais engraçada do meio infantil. É sempre bárbaro ler a Sylvia novamente.

    ResponderExcluir
  7. Sylvia Orthof faz a gente ler sorrindo. Sua literatura é fantasticamente alegre e feliz!
    Obrigada, Passarinho, por nos presentear tanto!

    ResponderExcluir
  8. Preciso conhecer já esse livro! Tem todos os ingredientes que me fascinam. Preciso mudar, com urgência, meus próprios galinheiros.

    Ah, Renato, que coisa linda é ler você. Impossível encontrar um olhar mais delicado e tão apurado para os detalhes que encantam. Parabéns.

    ResponderExcluir
  9. Ih! tá difícil. Comentar Sylvia, Alex Gomes, Leo Cunha... todos autores responsáveis pelo que há de melhor na Literatura Infantil e Juvenil dessa nossa pátria deitada em berço esplendido (mas nem tanto).
    Melhor dizer que Passarinho está bonito de doer o coração e pra não fugir o politicamente correto dar muitos parabéns pro Renato. Quem é apaixonado concorda comigo.

    ResponderExcluir
  10. Lucas Figueiredo Silveira3 de agosto de 2014 12:01

    Um ótimo texto, Renato. Abrangente, explana bem sobre a importância de Sylvia Orthof, em especial o livro "MUDANÇAS NO GALINHEIRO MUDAM AS COISAS POR INTEIRO". Sou admirador da literatura infantil e infanto-juvenil brasileira e fico envergonhado por ter lido pouco desta grande autora, em relação à sua numerosa obra. Mas suas palavras abriram-me os olhos e mostraram-me o que estava perdendo. Obrigado! Um forte abraço.

    ResponderExcluir